domingo, 14 de fevereiro de 2016

sistema de climatização comercial

Hoje em dia é difícil imaginarmos um prédio comercial sem climatização. Em dias de calor extremo, entrar nestes estabelecimentos de trabalho como hospitais ou mercados é uma das melhores coisas. Mas você já se perguntou quais são os tipo de aparelhos para os prédios comerciais?
A implementação de um sistema de climatização comercial não é uma coisa assim tão simples. Afinal, se for para resfriar um ambiente como um hospital, por exemplo, o aparelho precisa ser devidamente estudado, pois leva-se em consideração quantos andares possui o local, quais os materiais que ficam dentro do prédio, climatização ideal para os pacientes, espessura das paredes de cada leito, etc. O ideal é que o sistema de refrigeração seja desenvolvido ainda quando o projeto esteja na planta. Os prédios comerciais vão exigir sistemas mais integrados, com controles de climatização por andar e soluções de automação. Por mais que todos os aparelhos possuam a mesma finalidade (resfriar ou aquecer o ambiente) há algumas diferenças entre eles no momento de distribuir este ar. Por isso, relacionamos os principais tipos mais usados atualmente.
Sistema de Ar Condicionado Central

Esse sistema é indicado para grandes projetos por causa do seu alto custo sendo que em longo prazo são mais eficientes no uso de energia. É muito fácil identificar estes aparelhos, pois utilizam um conjunto de máquinas de grande porte. Geralmente as torres de refrigeração ficam localizadas no topo ou ao lado de edifícios. O condensador fica integrado à torre de arrefecimento, recebendo água à temperatura ambiente ao gás refrigerante, o que faz diminuir a temperatura do mesmo antes de passar pelo compressor. Sem o condensador, o compressor teria de trabalhar muito para comprimir gás refrigerante quente, gerando maior consumo de energia e, por sua vez, mais gastos. Esse sistema se assemelha bastante ao ar dutado, visto que a distribuição do ar é feita da mesma forma. O sistema, juntamente com a rede de dutos deve ser feita previamente, caso contrário as obras serão extensas.
sistema de água gelada com fan coilÁgua gelada com fan-coil: A água gelada que sai do sistema é distribuída pelo edifício dentro de tubulações. Em cada andar existe uma ou mais máquinas, chamadas de fan-coil. Por dentro do fan-coil, além de tubos em forma de serpentina, há um ventilador que joga o ar por entre essas tubulações. Este ar perde calor, fica frio e é conduzido à rede de dutos espalhada pelo escritório. Entre as vantagens do sistema central está a concentração da grande carga elétrica junto ao chiller, o que dispensa tomadas especiais em outros pontos da edificação. Ele é o mais adequado para projetos que preveem o insuflamento de ar pelo piso ou o chamado “teto frio”, geralmente é utilizado em Shoppings Centers.
sistema de termoacumulaçãoTermoacumulação: Esta tecnologia utiliza de uma forma de “acumular frio” em horários estratégicos o qual o consumo de eletricidade fica mais barato (geralmente a noite). Isso possibilita que o uso de compressores durante o dia seja reduzido. Este sistema necessita ser projetado através de softwares para acumular água gelada além de seus equipamentos terem que trabalhar com duas temperaturas. Uma para fazer gelo e outra para refrigeração normal. Para que a água não congele, usa-se um aditivo especial. A eficiência dependerá da quantidade de gelo utilizada no processo.
vavVAV: A sigla significa Volume de Ar Variável. O uso ideal para este sistema é quando o projeto em questão abriga salas fechadas. O VAV é um mecanismo composto por válvulas de vazão que possuem um termostato individual. Quando ligadas eletronicamente a um computador central para controle do fluxo de ar, as válvulas conseguem dirigir a temperatura de cada ambiente. O sistema VAV é usado em uma variedade de locais, incluindo lojas de varejo, auditórios, espaços de escritórios e algumas casas maiores.
multisplitSistema tipo Splis

Esse sistema leva este nome pois possui mais de uma unidade. Ele é o mais adotado em residências, por serem silencioso e econômicos. Em prédios comerciais, o sistema split é utilizado em prédios antigos que querem ser climatizados. Alguns empreendimentos também adotam o uso de multi splits, podendo ter duas ou mais evaporadoras com apenas um condensador.
vrvSistema VRV

Muito semelhante ao multisplit, porém possui maior capacidade (com até 64 máquinas). Versáteis e flexíveis, possuem um sistema inteligente de comandos eletrônicos que permite que o gás refrigerado seja direcionado para os locais onde a demanda é maior. Escritórios de pequeno e médio porte onde não há sistema central optam por esse tipo de aparelho já que é de fácil expansão e com grande facilidade de adaptação.
self-containedSistemas Self

O sistema Self ou Self- Contained (tudo contido numa máquina só) é o mais eficaz, segundo alguns técnicos, pois reúne condensadora e evaporadora num gabinete que pode resfriar um andar inteiro.
janeleiroJaneleiros ACJ

São os mais tradicionais. Ele concentra todos os “componentes” em um só aparelho: condensação, compressão, evaporação e ventilação. Esse aparelho, pela sua limitação, normalmente é usado em escritórios menores. E também em prédios antigos que não possuem sistema de ar-condicionado central.
Por fim, independentemente de qual seria a opção desejada, o bom ar-condicionado é aquele que atinge a eficiência térmica promovendo conforto. Por mais que sejam alvo de reclamações, hoje em dia um aparelho de refrigeração é produto indispensável nos escritórios e prédios comerciais. A temperatura ideal para ambientes de trabalho fica na casa dos 20 e 24ºC. A parte de instalações em edifícios comerciais teve grande evolução nos desenvolvimentos dos últimos anos.
Gomes.

Refrigeração por água gelada
Sistemas de água gelada são usualmente os mais recomendados para instalações de médio e grande porte, como shopping centers, aeroportos e estádios, onde as casas de máquinas estão localizadas longe das unidades condicionadoras de ar. O sistema de água gelada torna-se mais eficiente, pois as tubulações hidráulicas podem percorrem grandes distâncias enquanto as tubulações frigoríficas dos sistemas VRF possuem limites de comprimento e há uma perda de capacidade do sistema conforme o aumento da distância das linhas. 
Segundo Coelho, da Hitachi, além disso, a capacidade térmica das centrais de água gelada é grande e podem ser adotados chillers do tipo centrífugo com alta eficiência energética.
"Transportar a energia térmica pela água é melhor que utilizar o ar. Isso já é largamente apresentado em artigos sobre sistemas ar/água como vigas frias, tetos frios. Outra vantagem de se utilizar a água quando comparamos ao sistema que usa gases refrigerantes, como o VRF e os splits, é que a tubulação é mais simples, não operando sob pressão, não há a necessidade de vácuo, e, em casos de vazamentos, a fuga é de água e não de gases danosos ao meio ambiente. Os sistemas VRF têm limitações de comprimentos de linhas de gás entre as condensadoras e as evaporadoras, o que não ocorre nas linhas de água. São linhas com gás sob pressão, e com os recentes estudos realizados pela ASHRAE e órgãos de proteção ao meio ambiente, há uma limitação à quantidade de fluido refrigerante que pode ser utilizado nas edificações. A eficiência não pode ser analisada apenas como redução de consumo de energia, deve ser feita uma análise global da instalação, incorporando nesta análise a qualidade do ar, conforto dos usuários, e manutenibilidade da instalação", esclarece Adolph, da Trox Brasil.
Geralmente, sistemas de água gelada são mais eficientes em aplicações a partir de 200 toneladas de refrigeração (+/- 5.000 m² de área de piso). "Sistemas de água gelada podem ser mais eficientes na evolução do prédio, adaptando melhor as variações em carga térmica e expansões. Para aplicações com altas demandas de desumidificação, como, por exemplo, espaços com alta ocupação ou processos industriais, a água gelada, talvez, seja o único tipo de sistema que pode ser usado",
Em geral, os sistemas de água gelada com compressor centrífugo apresentam desempenhos excepcionais em 100% de sua capacidade, sendo ótimos para projetos onde há pouca variação de carga térmica ao longo do dia e ano, como, por exemplo, os data centers. 
"Esses produtos nem sempre apresentam o mesmo ganho de eficiência em cargas parciais que outras tecnologias. Embora seja costume se associar esses sistemas como mais eficientes somente em carga máxima, este fato não pode ser tomado como regra. Esses produtos possuem projetos muito flexíveis, como opções de dois chillers em série, diversos tipos de compressores, tanques de termo acumulação, vazão variável ou fixa de água entre outras. 
Aplicando a melhor solução para aquele projeto, é possível que o sistema de água seja mais eficiente", 

Gomes